COMISSÃO DE ÉTICA

É provável que você já tenha ouvido falar sobre esse órgão na esfera pública. Existem diversos mecanismos para controlar os comportamentos antiéticos nas instituições governamentais, ainda que falhem muitas vezes. Mas comissões de ética também podem ser adotadas no mundo corporativo. Os ouvidores que passaram pelos cursos de Capacitação e Certificação na OMD Soluções para Ouvidoria são provenientes tanto da esfera pública quanto privada. Portanto ou já conviveram com essa abordagem na prática ou têm interesse em se apropriar dos detalhes que envolvem uma Comissão de Ética, suas características e finalidades.

Por isso, cada vez mais empresas estão criando setores voltados para fiscalizar e assegurar o cumprimento de normas, bem como punir práticas indesejadas. E, de fato, fraudes, corrupções e assédios, por exemplo, devem ser mesmo combatidos para garantir não só a reputação da empresa, como e principalmente a manutenção da organização no longo prazo e a sua conformidade com as leis.

A Comissão de Ética é o ambiente preservado e instituído com o objetivo de avaliar procedimentos indevidos, analisar condutas individuais que se afiguram como assédio profissional ou pessoal, estabelecer um rito para investigar se as denúncias são procedentes e que exigem uma posição que justifique a análise sensata de desvios de conduta e/ou que possam acarretar prejuízos à reputação da empresa e ao convívio harmônico dentro da organização.

A singularidade da definição explica o porquê da necessidade da intervenção da Comissão de Ética, convocando um colaborador para dar explicações. É a seguinte: é quando do servidor público ou o colaborador de uma empresa confunde as suas atribuições funcionais como o interesse pessoal.